+51-984654421

E-mail: atendimento@perugrandtravel.com

pgrandtravel

Atendimento 24 horas

Top
a historia de machu picchu

A historia de Machu Picchu

Estima-se que Machu Picchu foi construída no século XV pelos incas de nossa era. Foi povoada por um grande número de habitantes, porém somente os nobres, sacerdotes e as “aqllas” (virgens) podiam viver na cidadela. Também havia uma população de camponeses que trabalhava nos campos, mas não vivia dentro da cidade inca.

A cidade é dividida em 3 áreas: 2 áreas povoadas e uma zona agrícola, a qual é um grande sistema de terraços e canais de irrigação. A zona urbana é dividida em dois bairros, em um encontram-se os templos mais importantes como o do Sol, assim como a habitação real.

A chegada dos espanhóis causou a queda do império e a cidade inca foi abandonada durante sua construção. Algumas pessoas dizem que os espanhóis sabiam sobre a existência de Machu Picchu, porém nunca conseguiram encontrá-la. Sua localização seria conhecida somente pelos habitantes locais até seu descobrimento, no ano de 1922 por Hiram Bingham que iniciou os trabalhos de escavação na região, desde 1912 até 1925, quando foi removida a densa vegetação que cobria parte da descoberta.

Época Inca

Ao que parece, foi o inca Wiracocha e seu filho Pachacútec que mandaram construir o palácio. Esta montanha tinha como função principal ser o local de descanso com templos para o deus Sol e a deusa Lua e numerosas casas para abrigar suas belas mulheres, além de converter-se em um observatório astronômico, devido à sua localização. Wiracocha se viu obrigado a fugir com seu outro filho Urko Yupanqui, quando da invasão por parte do Estado Chanka,comandado por Uscovilca.

O filho mais novo de Wiracocha, Kusi Yupanqui, formou um exército e derrotou Uscovilca em uma sangrenta batalha e decidiu entregar a vitória da guerra a seu pai que o desprezava. Mas Wiracocha não aceitou o presente e disse que ele deveria oferecer a seu sucessor, seu irmão Urko.

Humilhado, Kusi Yupanqui regressa a Cusco para tomar o poder e reconstruir a cidade. O Conselho Real planeja permitir a Kusi atrair seu pai: disseram a Wiracocha que seu filho o convidava a ver a transformação que ele havia feito na principal cidade.

Wiracocha aceitou a proposta e partiu para Cusco onde ficou impressionado pela reconstrução da cidade e nomeou Kusi Yupanqui como Pachacútec, que significa “transformador do mundo”. Kusi agradeceu seu pai e o despojou de sua coroa, colocando-a em sua própria cabeça e se auto-denominando rei.

Após a morte de Wiracocha, Pachacútec ordena que a cidadela seja desabitada e abandonada para sempre. Por isso as ruínas de Machu Picchu foram conservadas praticamente intactas até nossos dias.

Redescobrimento

A pesar de ser atribuído a Hiram Bingham, outras fontes indicam que Agustín Lizárraga, um fazendeiro cusquenho, havia chegado à cidadela nove anos antes que seu descobridor oficial. Lizárraga deixou uma inscrição em um dos muros do Templo das Três Janelas que foi documentada pelo próprio Bingham e depois apagada.

A história de Lizárraga e suas visitas às ruínas incas chamaram a atenção de Hiram Bingham que se encontrava explorando os últimos redutos incas na região. Ao escutar rumores, Bingham teria começado as buscas na companhia do cusquenho Melchor Arriaga e de um sargento da guarda civil peruana, chegando a Machu Picchu em julho de 1911. Ali encontraria duas famílias, os Álvarez e os Recharte, estabelecidas ao sul das ruínas. Um filho dos Recharte seria quem teria guiado Bingham até a cidade inca, coberta por uma densa vegetação.

Hiram Bingham solicitou apoio e patrocínio à Universidade de Yale, à National Geographic Society e ao governo peruano, iniciando os estudos do sítio arqueológico.

Em 1913, a National Geographic publicou em sua revista um amplo artigo sobre Machu Picchu e os trabalhos que ali eram realizados. Assim a cidadela inca ficava conhecida ao mundo inteiro. Com o passar dos anos, Machu Picchu foi adquirindo importância turística a nível nacional e logo depois, internacional, tornado-a merecedora do título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1983. Em uma votação realizada por milhões de usuários em todo o mundo, Machu Picchu foi proclamada uma das sete maravilhas do mundo em 07 de julho de 2007.